O presente livro impõe ao leitor o tempo tomado pelo gozo e fruição da palavra, contundente e vagarosa, impõe a disponibilidade e a flexibilidade mental para se deixar tomar pela correnteza das águas estuarinas, pela planície arável e pela memória viva das coisas em vigília defenso-ofensiva. Cada texto aqui, independentemente dos demais, bebe da seiva circulante do anterior e acrescenta, em processo. Daí que, o somatório seja, no final da leitura conjunta, manifestamente maior do que a soma das partes. São contos onde a poesia, a prosa poética, informa a mensagem mas não nos desvia dela, por maior, por eloquente e eloquentemente literária. Há um tempo social revelado em cada conto, porquanto, a inventividade lúcida e criativa do autor não turva os decibéis com que a voz destes se manifesta e propaga, na procura e na devolução de inusitados, mas tão autênticos e sentidos horizontes.